BTC e empresários ampliam projeto social de tênis para atender mais crianças

O Bauru Tênis Clube reinaugurou nesta semana o seu Projeto Social de Tênis, que existe há cinco anos, mas que agora foi consideravelmente ampliado, em número de crianças atendidas, mas principalmente com mais dias e horários de treinos no clube. O número de professores passou de apenas um para quatro.

A diretoria do clube comemorou a expansão da escola social para jovens tenistas, que é realizada em parceria com o Projeto Crescer, do CEAC Bauru, cujo objetivo é tirar crianças das ruas, por meio do esporte, e ensinar o tênis para moradores de comunidades carentes da cidade, que são assistidas pelo CEAC. Ao todo são 60.

De acordo com o coordenador e professor Alessandro Coelho, a ampliação, que conta agora com mais três treinadores, só foi possível graças ao patrocínio da Aiello Urbanismo e da Ecovita Construtora, que supriram o valor que deixou de ser repassado pela Semel. Quantia esta que despencou em 2017 e foi direcionada pela secretaria para outros esportes do município. Reduzida ao ponto do projeto quase acabar.

“Bauru tem muitas pessoas com coração maior que a cidade. E os empresários da Aiello e da Ecovita são exemplos disso. Eles estão patrocinando o projeto que agora foi ampliado. Antes só era possível uma aula por semana, em dois períodos, com um único professor. E agora estamos contando, graças ao patrocínio deles, com o grande reforço dos professores Claudinho Sacomandi, Tainha e Bonfim”, destacou Coelho.

O professor ressaltou ainda que o BTC está de portas abertas para que outras empresas possam colaborar para que o projeto cresça cada vez mais. As aulas foram retomadas e acontecem de segundas e quartas, das 8h30 às 10h e das 14h às 15h30.

O processo de seleção das crianças que fazem as aulas é rigidamente feita pelo Projeto Crescer, do CEAC, onde as meninas e os meninos, de periferias, precisam ter assiduidade na escola. A coordenadora Joice Godoi explicou sobre a importância do projeto tênis no BTC. “Estamos inserindo nova cultura, abrindo novos horizontes das crianças, que estão aprendendo um esporte novo que tem muita tradição no País e na cidade de Bauru. E isso tudo é possível graças ao BTC. E agora, essa maravilhosa ampliação, graças a Aiello Urbanismo e a Ecovita Construtora”, comenta.

O professor Claudinho Sacomandi lembrou a trajetória do pai. “Meu pai tem a mesma origem dessas crianças que vejo aqui no projeto social. Meu pai Claudio, meu e do Celso, foi pegador de tênis por muitos anos na juventude. Depois foi um grande tenista e posteriormente se transformou em um dos principais técnicos do Brasil”, recorda.

Coelho revelou ainda que o país está parando de revelar grandes talentos, porque a maioria surgia como pegador de tênis. “A legislação não te permite mais ter os pegadores. E essa função historicamente era ocupada por crianças de famílias mais humildes que ganhavam seu dinheiro atuando em clubes particulares e que também aprendiam a jogar. Foi assim que os craques do passado foram surgindo. Hoje não tem mais essa função, então, a forma de trazer esse público para o esporte, que é considerado de elite, foi por meio desse projeto de tênis do BTC que está sendo um sucesso e tenho certeza que futuramente vamos revelar grandes tenistas”, finaliza.

 

Assessoria em Comunicação
Bruno Freitas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com