PNRS e desenvolvimento sustentável na agroindústria são os destaques do evento promovido pela CODEAGRO e Lwart Lubrificantes em Bauru

Presença do Secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, foi o grande destaque do encontro, que contou com a participação de representantes Poder Público, da iniciativa privada, do Poder Judiciário e entidades da Sociedade Civil Organizada para debater boas práticas, desafios e melhorias

 

O Secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, foi o destaque do evento “Diálogo sobre Sustentabilidade na Agroindústria Cultivando as Boas Práticas”, realizado na última semana na OAB-Bauru – promovido pelo CODEAGRO (Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios) e com apoio institucional da Lwart Lubrificantes -, e que promoveu uma discussão positiva em torno das boas práticas sustentáveis no setor.

 

Além de Jardim, estiveram presentes Manoel Browne de Paula, Relações Institucionais e Sustentabilidade da Lwart Lubrificantes; Klaudio Cóffani Nunes, Coordenador do Grupo de Meio Ambiente e Sustentabilidade do CIESP Bauru; Paschoal Magalhães Sansoni, Presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB; Consuelo Yoshida, Desembargadora do TRF da 3ª Região e José Valverde Machado Filho, Coordenador da CODEAGRO.

 

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) foi um dos principais assuntos debatidos ao longo do evento, já que o Secretário foi o relator da Lei que rege o assunto, publicada em 2010. Outros importantes temas envolveram a gestão ambiental pública e privada e seus desafios, o papel das empresas, a responsabilidade pós-consumo dos resíduos e o seu gerenciamento para a sustentabilidade na Agroindústria de modo geral.

 

Arnaldo Jardim destacou a importância do diálogo aberto aos setores envolvidos e a sociedade como forma de aprimorar as iniciativas da política Nacional de Resíduos Sólidos. “Temos uma Legislação que aponta claramente para esse caminho, do ciclo de vida dos produtos e a reciclagem dos resíduos. Mas há um desafio cotidiano de trazer para a realidade. Temos a necessidade de Normas, de difundir esses fatos para que isso possa ser cada vez mais incorporado por todos”, comentou. “Discutir a forma como a Legislação dialoga com a realidade é extremamente importante”, acrescentou Jardim.

 

O Secretário também ressaltou como a sua atuação como relator da Lei que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos se une ao seu papel atual e à questão da sustentabilidade do setor: “a minha experiência anterior é muito importante nessa questão do reaproveitamento, da vida útil dos produtos e da logística reversa. A Agroindústria é um ótimo exemplo, pois tem índices mundiais de reaproveitamento”, analisou. Por fim, destacou a importância do encontro e o papel essencial desempenhado pelo setor de logística reversa do óleo lubrificante usado. “É uma alegria muito grande participar deste evento junto com empresas que cumprem sua função social, cultivando boas práticas em prol da sustentabilidade ambiental”, pontuou.

 

O Relações Institucionais e Sustentabilidade da Lwart Lubrificantes, Manoel Browne de Paula, que apresentou o tema “Gerenciamento de Resíduos Perigosos: Óleos Lubrificantes (Prevenção de Riscos Ambientais)”, destacou a importância do diálogo em torno da sustentabilidade no agronegócio e como o Poder Judiciário pode atuar de forma a dar efetividade as normas ambientais no país e promover um avanço ainda maior em torno das atividades relacionadas.

 

“A atividade de coleta e rerrefino se relaciona diretamente com a expansão da agroindústria, na medida em que o setor cresce, naturalmente como decorrência mais máquinas utilizam pneus, lubrificantes e embalagens, gerando resíduos que demandam adequado gerenciamento. Somos um elo da cadeia muito importante”, afirmou Browne. Para ele, o encontro serve para refletir a melhor maneira de atuação junto ao meio ambiente e na gestão de risco em usinas, oficinas de manutenção, concessionárias e outros lugares que produzem resíduos. “O modelo de gestão que se fazia antigamente, sem controle, sem observância à Legislação, sem acompanhamento com indicadores não funciona mais, principalmente na agroindústria, que à reboque da pujança econômica, carrega pesado ônus de impacto ambiental, mas que se revela cada vez mais um mito pelo nível de excelência que vem realizando suas atividades e a Lwart está ao lado dessa indústria para garantir a gestão correta do óleo lubrificante  usado nos termos da legislação ambiental”.

 

Browne ainda ressaltou que para promover um desenvolvimento realmente sustentável, é preciso avançar concomitantemente em todas as dimensões do desenvolvimento sustentável, observando, os inúmeros aspectos no âmbito ambiental, social, econômico, ético e jurídico-institucional. “Um novo modelo de Governança deve envolver o poder público, o Judiciário, a inciativa privada e a sociedade civil, para que se tenha uma padronização, que vá além das normas obrigatórias”, esclareceu. Ao final, levantou a reflexão sobre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU e como cada participante da cadeia pode se engajar e contribuir com essa agenda.

Fonte: Ads Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com